Entre nessa luta! Compartilhe.

Em caso de estupro, a vítima será a culpada. Sempre

Garota de 14 anos é estuprada em Manaus e os comentários online colocam a culpa na garota, como se ela estivesse "procurando" pelo crime

Fatos Políticos
Fatos Políticos
Liberdade e democracia na construção da cidadania coletiva
7
Foto Ilustrativa (Foto:Paraiba.com)
  • Natura
  • Netshoes
violencia-contra-crianca
Foto Ilustrativa (Foto:Paraiba.com)

Comentarista de internet é difícil de lidar. Matheus Pichonelli escreveu muito bem a respeito em Não penso, logo relincho. Em casos de estupro, quando a violência acontece com uma “mulher direita” ou que a gente conheça (amiga, namorada, irmã), o discurso correto é culpar o estuprador, inclusive incitando uma violência barbárica. “Tem que castrar”, “prisão perpétua”, “pena de morte” e, até mesmo, estuprar o criminoso, para “devolver na mesma moeda”.

No entanto, quando o estupro ocorre contra uma qualquer, isto é, uma mulher que, sim, poderia ser nossa irmã, mas não é, a culpa será sempre dela. Escrevi inúmeras vezes sobre isso aqui neste espaço e também no meu blog pessoal, só que parece que as pessoas não querem enxergar que elas têm, sim, esse discurso – e não têm a menor vergonha de compartilhar em comentários em blogs, no Twitter ou no Facebook.

O caso de hoje envolve uma garota de 14 anos que estava andando na rua às 23h em Manaus. Um motorista parou, obrigou-a a entrar no carro, e a levou para uma casa abandonada. Lá, estuprou-a. A vítima foi encontrada pela polícia. A reportagem não diz quais as condições físicas da adolescente naquele momento, mas obviamente não foi um encontro sexual consensual, porque se não a polícia não deveria tê-la “encontrado”. Isso não é óbvio? Quando você transa, o normal e aceitável é que depois do sexo ou você se vista e vá embora, ou durma ao lado do parceiro. É assim que o mundo funciona, caso alguém não tenha entendido. Você não é “descoberto” pela polícia numa casa abandonada.

[artigos titulo=”Leia também” tipo=”relacionadosportags” total=”3″ periodo=”mes” largura=”maxima” posicao=”nenhuma”]

O tribunal da internet, no entanto, não foi capaz de fazer esse raciocínio lógico, tão desesperado por culpar a mulher, esta Eva que começou a nos destruir desde aquela tal maçã.

Recolhi alguns dos comentários na notícia no Facebook do D24, jornal do Amazonas que deu a reportagem.

Homem:

23 hs na rua? Kkkk… Coisa boa nao tao fazendo! E cadê os pais??? Ta merecendo uma cadeia

“Está merecendo uma cadeia.” A vítima. Entenderam? A vítima merece cadeia por estar na rua às 23h.

Homem:

O que uma menina dessa faz nas ruas a essa hora? Tava procurando,encontrou.

Claro. Todas nós, quando saímos, estamos à procura de sermos estupradas. É o sonho de toda mulher.

Mulher:

o que essa individuo de 14anos fazia na rua uma hora dessa?!Do jeito que ta perigoso ficar até dentro de casa ai é pedir neh!!!

Novamente, ser estuprada é o nosso sonho.

Mulher:

E o que uma menina faz na rua esse horario , e kde a mae dla , ? E 14 anos naum é nem uma criança ja sabe muito bem o que é bom e o que é ruim . A vá ate parece msm . . .

Por que ninguém pergunta pelo pai? E, sim, a garota pode até saber o que é bom e o que é ruim. Eu tenho 20 anos a mais do que ela e sei muuuuuuuuuuito bem o que é bom e o que é ruim, mas isso não quer dizer que eu vá escolher pelo ruim, pelo péssimo, pelo desastroso.

Mulher:

De menor na rua esse horário?
No meu tempo muito diferente, dando trabalho para os pais e pra polícia!!!
Se tivesse em casa dormindo nada disso teria acontecido!!

O “em casa” pode ser substituído por “escola”, por “igreja”, e por aí vai, ignorando o fato de que 80% dos estupradores são conhecidos da vítima.

Homem:

“””””””Estupro””””””””” pq se hj em dia se um cara der um sopro numa menina é considerado estupro.

(me recuso a comentar.)

Homem:

Imagino a roupa que ela estaria usando a essa hora na rua… mas nao justifica o estupro, mas as meninas de hoje procuram por isso, andam quase nuas.

Faltava o da roupa, né? Completou sua cartela de bingo aí?

Há comentários igualmente ou mais toscos ainda, citando órgãos sexuais e coisas do tipo. Vou poupá-los disso. Eu apenas quero mostrar como é necessário, sim, bater na mesma tecla: a culpa não é da vítima. Porque o “pensamento” corrente é o de que a vítima pediu por aquilo, se colocou em risco, não tomou os cuidados suficientes. Isso gera uma bola de neve, porque esta vítima vai mesmo se sentir culpada, suja. Ela não vai procurar a polícia – e os crimes de estupro, que já têm uma taxa pequena de condenação, continuarão impunes. Dificilmente ela conseguirá compartilhar com amigos e família o que lhe aconteceu, já que tem consciência do julgamento que virá a seguir.

A autoestima possivelmente irá para as cucuias, e esta mulher se sentirá sempre como se algo estivesse faltando, como se ela não fosse completa e, caso encontre um parceiro, irá aceitar o que vier. Se a relação for abusiva, incluindo violência física, ela ainda assim se sentirá sortuda por ter achado alguém que ficou com ela apesar de.

É o ciclo da misoginia e da violência contra mulheres. Precisamos quebrá-lo. É de pessoas que estamos falando, de gente, de seres que sentem, se machucam, se magoam, se desesperam. É epidêmico. É uma questão de humanidade.

Comentários

Publicar comentário
  1. malu

    é verdade... porque as pessoas sempre julgam sem saber o real motivo de ela esta na rua nesse horário. Voltando do trabalho,da escola,mora distante de casa, estava ajudando alguém... não que isso justifique a imbecilidade das pessoas. Na pior da hipóteses , existe o direito de ir e vir das pessoas; as pessoas deveriam se lamentar pela perda desse direito que nos é roubado a cada atrocidade feita por um ser humano com outro ser humano, o que nos mantém refém do medo e da reclusão em nosso lares , isso quando a casa pode ser chamada de lar, ás vezes as pessoas estão na rua para fugir da realidade da família desestruturada...

  2. matheus

    todos os dias milhares de crianças saem da escola as 11 horas da noite pois estudam e trabalham de dia , no caso entao nao posso andar a noite mais pois se eu for estrupado estarei errado hhhhhhhhaaaa vai toma no cu karaio bando de imbecil agora a noite o demonio e temos que respeitar cadeia no estrupador

  3. alan

    na realidade a culpa é da sociedade , que elegem estes bando de sangue sugas que não fazem nada para melhora a nossa segurança para que nos possa ser livres para sair ou esta em qualquer lugar e horas que quisermos.

  4. Bárbara

    Fico tão triste ao saber de coisas do tipo. E mais ainda de saber que existem pessoas capazes de comentar coisas horríveis como as mostradas nos exemplos. É lamentável. Não sei onde o machismo vai parar... Claro que já evoluímos o suficiente, já conquistamos muitos direitos, mas hoje em dia o machismo vem disfarçado. Não podem nos calar, não podem nos privar de direitos iguais (na constituição, pelo ao menos) e então buscam outras formas de nos oprimir, tentando nos convencer que somos culpadas, seja quando somos estupradas, quando fazemos um vídeo de sexo e ele cai na internet, quando resolvemos sair de short, ou de saia, ou de vestido e recebemos cantadas... De tudo somos culpadas. Quando vão entender que o corpo é nosso, e que temos total direito sobre ele? E que NADA justifica um estupro, nem a roupa, nem o horário, nem o fato de estar sozinha tarde da noite. Alguém por acaso sabe o motivo da garota estar sozinha na rua àquela hora? Não. Vão logo julgando. Aprendam, NADA justifica alguém tocar em meu corpo sem minha permissão.

    • lud

      Isso é resultado da lógica marxista onde a vítima é sempre culpada não importando o contexto do ocorrido. É o sakamoto espalhando a sua ignorancia país a fora.

  5. Ivonil Alauk

    A VERDADE É UMA SÓ, QUE QUEM CRITICA NÃO SABE A DOR, PORQUE NÃO É A FILHA DELES....

  6. Viviane Dias

    Exatamente...as pessoas acham que as mulheres procuram ser estupradas, invadidas...são um bando de loucos...Os estupradores não tem mais medo pq sabem que ou não vou ser denunciados por medo e vergonha da própria vitima ou pq eles sempre tem razão. Os direitos humanos apoiam este tipo de crime, pois aconselham o estuprador de como se comportar na frente dos promotores, ajudam-no a como responder as perguntas, tentam fazer do criminoso cruel, uma pobre coitado...a vitima passa a ser a vilã e o bandido, a vítima...esta inversão deve acabar. Estupro é crime. seja em criança, mulher, homem, etc...